Híbrido Etanol: O Motor do Futuro

Híbrido Etanol: Novo debate acontece nesta quarta-feira (6)

Seminário sobre nova fonte de energia limpa para automóveis terá transmissão ao vivo pelo site motordofuturo.com.br


2022-04-05T00:14:00




Será realizada nesta quarta-feira (6) o evento "Híbrido Etanol: Desafios e oportunidades das rotas tecnológicas para a mobilidade sustentável", seminário que dá sequência ao tema debatido pela primeira vez em outubro do ano passado no CEAR, onde o alto nível dos palestrantes e dos raciocínios apresentados chamou a atenção para a necessidade de uma nova tecnologia de energia limpa para automóveis. O evento presencial será restrito a convidados, mas terá transmissão ao vivo a partir das 14h pelo Grupo EP, por meio do site motordofuturo.com.br.

Com o apoio da Prefeitura de Araraquara, participarão pesquisadores, membros de universidades, representantes das entidades dos trabalhadores, direção da Volkswagen e da Toyota, além de representantes da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA) e outras instituições.

Os painéis

A programação será dividida em dois painéis. O Painel 1, com o tema "Rotas tecnológicas para a mobilidade sustentável", terá a mediação de Eduardo Leão (diretor executivo da União da Indústria de Cana-de-Açúcar-UNICA) e tem seu início previsto para as 14h10. Os participantes serão Wanderlei Marinho da Silva (professor universitário e membro do Conselho da SAE Brasil), Pablo Di Si (presidente e CEO da Volkswagen Região SAM-América do Sul, América Central e Caribe) e Thiago Sugahara (vice-presidente da Associação Brasileira do Veículo Elétrico-ABVE e gerente de Assuntos Governamentais da Toyota do Brasil).

Às 15h10 terá início o Painel 2, com o tema "Marco legal para o motor do futuro", que terá a mediação do Dr. Rodrigo Fernando Costa Marques (coordenador do CEMPEQC) e contará com a participação de Margarete Gandini (coordenadora geral de Implementação e Fiscalização de Regimes Automotivos do Ministério da Economia), Evandro Gussi (CEO da União da Indústria de Cana-de-Açúcar-UNICA) e Erick Silva (presidente da Federação dos Sindicatos de Metalúrgicos da CUT-SP - FEM-CUT/SP).

Linha do tempo e marco legal

O professor Rodrigo Marques explica como será o formato do evento. "Vamos ter dois painéis e o formato consiste em um convidado na apresentação de slides em torno de 20 minutos sobre o tema proposto e então os convidados, sob a orientação de um mediador, irão responder as perguntas com base também em informações apresentadas pelo palestrante principal de cada painel", revela.

Segundo ele, o primeiro painel tem como objetivo principal traçar uma linha do tempo em relação à maturidade das tecnologias discutidas. "Vamos saber se essas tecnologias já estão em uma maturidade pré-mercado, se estão no mercado, se estão em desenvolvimento acadêmico ou se estão em desenvolvimento avançado com protótipo", salienta.

Rodrigo aponta ainda que o Painel 2, que começa a dar o foco dos três eventos propostos, tem o intuito de pensar e discutir um marco legal para a mobilidade sustentável. "Essa mobilidade sustentável em torno desse motor do futuro que estamos trabalhando traz também, além dos aspectos econômicos, aspectos sociais e aspectos ambientais. Então existe a necessidade de formulação de políticas públicas para que tenhamos um marco legal que transforme essas ações e discussões em um guia, uma orientação de políticas públicas, que vai culminar no encerramento no terceiro evento, onde esperamos ter em mãos um documento para ser apresentado aos próximos governos", esclarece.

Para o coordenador do CEMPEQC, o conteúdo abordado nesses debates vão assegurar um volume amplo de informações para o desenvolvimento das propostas. "É preciso discutir de que forma serão garantidos os postos de trabalho dessa grande comunidade de trabalhadores envolvidos nos setor de autopeças e de trabalhadores de toda a cadeia de serviços diretos e indiretos que engloba a mobilidade. É preciso discutir de que forma os setor dos trabalhadores, o governo e a academia podem, juntos, sugerir políticas públicas pensando em um marco legal para a mobilidade sustentável", conclui Rodrigo.

Híbrido etanol

O Brasil, que há décadas já utiliza o etanol como combustível limpo, é classificado como a principal fonte sustentável com base em biocombustíveis do mundo e seu etanol de cana-de-açúcar é considerado o combustível alternativo mais bem sucedido até o momento. Entretanto, a indústria automobilística global passa atualmente por uma de suas maiores reinvenções e caminha para um futuro sustentável. A novidade, que norteia o evento, é o desenvolvimento de veículos híbridos elétricos com propulsor a combustão movido exclusivamente a etanol.

A ideia envolve um sistema híbrido, composto por um motor a etanol associado a um elétrico, e as perspectivas da célula de hidrogênio. Assim, esses veículos não teriam a necessidade de serem carregados na tomada e teriam a vantagem de ter uma pegada de carbono menor do que a dos veículos somente elétricos, desde a fabricação até o descarte, o que seria de extrema relevância no atual momento em que a preocupação com o meio ambiente é uma das prioridades exigidas pelo mercado.

Sobre o evento

O evento "Híbrido Etanol: o Motor do Futuro" é organizado pela Federação dos Metalúrgicos do Estado de São Paulo (FEM-CUT/SP), União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA) e pelo Centro Multidisciplinar de Pesquisa em Combustíveis, Biocombustíveis, Petróleo e Derivados (CEMPEQC). O encontro virtual também conta com apoio do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, da Prefeitura de Araraquara, das montadoras Volkswagen e Toyota e do CEAR, e tem como apoiadores de mídia a EPTV, os portais de notícias G1, A Cidade On e a rádio CBN São Carlos. A produção é da O.A. Eventos, empresa do Grupo EP.

O evento também contará com a participação de Industriall Brasil, Instituto Trabalho, Indústria e Desenvolvimento (Tid Brasil), Confederação Nacional dos Metalúrgicos da Central Única dos Trabalhadores (CNM/CUT), Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos (CNTM), Federação dos Trabalhadores do Ramo Químicos da CUT do Estado de São Paulo (FETIQUIM/CUT), Sindicato da Micro e Pequena Indústria (SIMPI), Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores (SINDIPEÇAS), Sindicato Interestadual da Indústria de Materiais e Equipamentos Ferroviários e Rodoviários (SIMEFRE), Sindicato da Indústria de Condutores Elétricos, Trefilação e Laminação de Metais Não-Ferrosos do Estado de São Paulo (SINDICEL) e Federação dos Empregados Rurais Assalariados do Estado de São Paulo (FERAESP).

Após a edição desta quarta, o evento "Híbrido Etanol: O Motor do Futuro" terá novas edições no dia 10 de maio em Sorocaba (esse presencial e também com a inclusão de novas entidades) e em 22 de junho no Vale do Paraíba.


CURRÍCULOS DOS PARTICIPANTES

Eduardo Leão
É diretor Executivo da UNICA desde outubro de 2007. Entre 2003 e 2007, foi economista-Sênior e coordenador Regional dos Programas em Agricultura e Meio Ambiente do Banco Mundial. Durante o período entre 1999 e 2002, foi coordenador-Geral de Produtos Agrícolas e Agroindustriais do Ministério da Fazenda. Como pesquisador-Sênior em Economia Agrícola na Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE) da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA-USP), integrou o Programa de Estudos dos Negócios dos Sistemas Agroindustriais (PENSA/USP). Também coordenou o Departamento de Assessoria Econômica da Federação da Agricultura do Estado de São Paulo (FAESP). É bacharel em Engenharia Agronômica, mestre e doutor em Economia Aplicada pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ), da USP. Atualmente, é membro do Commodity Advisory Group da Bolsa de Futuros Liffe (NYSE Euronext), World Sugar Committee da ICE Futures U.S. (ex-NYBOT), Comitê-Executivo do World Sugar Research Organization, Conselho Superior do Agronegócio da FIESP e Comitê-Executivo do World Trade Center.

Wanderlei Marinho da Silva
Engenheiro eletricista pela Universidade Santa Cecília. Possui especialização pela University of Manchester Institute of Science and Technology (UMIST), Manchester, Inglaterra. Tem mestrado e doutorado em Engenharia Elétrica pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP). Participou dos cursos "Business and Management for International Professionals" (University of California, Irvine, EUA), "Negotiation for Senior Executives na Harvard University (Cambridge, EUA) e "Executive Program on Project Management" (The George Washington University School of Business em Washington DC, EUA). Possui especialização pela University of Manchester Institute of Science and Technology (UMIST), Inglaterra. É membro do Project Management Institute (PMI-EUA) e PMI Chapter São Paulo. É revisor do Institute of Electrical and Electronics Engineers (IEEE), EUA, além de membro da Society of Automotive Engineers (SAE) Brasil, onde atua no Comitê de Veículos Elétricos e Híbridos. É professor de cursos de MBA da Fundação Getúlio Vargas (FGV) e do Instituto Mauá de Tecnologia (IMT).

Pablo Di Si
Pablo Di Si é presidente e CEO da Volkswagen Região SAM (América do Sul, América Central e Caribe). Iniciou sua carreira no Grupo Volkswagen em 2014. Anteriormente, ocupou posições-chave nas áreas de finanças e desenvolvimento de negócios na FCA nos Estados Unidos e no Brasil, onde viveu por 11 anos (nas cidades de São Paulo, Curitiba e Belo Horizonte). Em 2017, completou o CEO Global Program na Wharton, IESE and CEIBS Business School. Graduado pela Harvard Business School (AMP 2011), tem MBA Executivo de International Management pela Thunderbird, School of Management (2002). Formado em contabilidade pela Northwestern University (1996), Pablo Di Si é também Bacharel em Administração, com especialização em Finanças, pela Loyola University of Chicago (1994). O executivo foi eleito, em abril de 2017, presidente da AHK Argentina (Câmara de Indústria e Comércio Argentina Alemanha).

Thiago Sugahara
É vice-presidente da Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE) e gerente de Assuntos Governamentais da Toyota do Brasil, com 15 anos de experiência no setor. Atua na área de mobilidade e promoção de novas tecnologias com foco em descarbonização e eletrificação. É bacharel em Relações Internacionais (PUC-SP) e pós-graduado em Relações Internacionais pelo San Tiago Dantas (Unesp/Unicamp/PUC-SP). Foi diretor da Fundação Toyota do Brasil e gerente de Relações Públicas.

Rodrigo Fernando Costa Marques
Possui graduação em Química pela UNESP (1995). É mestre em Físico-Química (Instituto de Química-UNESP), doutor em Físico-Química pela Universidade de York (Inglaterra) e Instituto de Química (UNESP), com pós-doutorado em Química Inorgânica pelo Centre d'Elaboration de Matériaux et d'Etudes Structurales, CEMES (França). Foi diretor do Campus Avançado da Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL) em Poços de Caldas. É coordenador do Centro de Monitoramento e Pesquisa da Qualidade de Combustíveis, Biocombustíveis, Petróleo e Derivados (CEMPEQC/IQ-UNESP).

Margarete Gandini
Possui doutorado em Ciências Sociais e Empresariais, Cadeias Globais de Valor pela Universidade de Ciências Sociais e Empresariais de Buenos Aires (Argentina), mestrado em Economia e Desenvolvimento Econômico pela Universidade de Brasília e mestrado em Administração de Empresas e Gestão da Competitividade pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos de São Leopoldo-RS. De 2006 a 2012 foi coordenadora geral de Arranjos Produtivos Locais do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Também atuou como coordenadora geral da Indústria Automotiva de 2012 a 2015 e diretora do Departamento das indústrias de Mobilidade e Logística de 2015 a 2018. É coordenadora geral de Implementação e Fiscalização de Regimes Automotivos do Ministério da Economia desde setembro de 2019.

Evandro Gussi
Evandro Herrera Bertone Gussi é formado em Direito pela UniToledo de Presidente Prudente. É mestre em Direito Constitucional pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e doutor em Teoria do Estado pela Universidade de São Paulo (USP). Foi professor da Universidade do Estado de São Paulo (UNESP) nas áreas de Direito Constitucional, Administrativo e Ambiental. Além disso, tem experiência docente nas áreas de Filosofia, Ética e Doutrina Social da Igreja. De 2014 a 2018 exerceu seu primeiro mandato como deputado federal. Desde 2019 é presidente da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA).

Erick Silva
É trabalhador metalúrgico em São Carlos há 25 anos. É graduado em Ciências Sociais pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e tem mestrado em Políticas Públicas pela Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso). Presidiu o Sindicato dos Metalúrgicos de São Carlos no período de 2010 a 2019. É dirigente, desde 2015, da Federação dos Metalúrgicos do Estado de São Paulo, que hoje preside, em mandato que vai até 2023. A FEM representa 200 mil trabalhadoras e trabalhadores no estado.